O email marketing é reconhecido como uma ferramenta importante para fidelizar e estreitar a relação com os atuais e potenciais clientes assim como alavancar as vendas. Ficam aqui 7 boas práticas e algumas dicas que sugerimos teres em consideração no desenvolvimento de campanhas de email.

Aposta na personalização

Estabelece uma relação com os subscritores de forma personalizada. Sugerimos que no desenvolvimento das campanhas de email vás um pouco além do nome do subscritor no assunto do email ou no conteúdo. Utiliza táticas mais avançadas como, por exemplo, segmentar as tuas campanhas tendo por base o sexo dos subscritores, a área de residência, se já é cliente ou não, o melhor dia e hora para enviares os emails, não te foques em horários que acreditas fazerem mais sentido, testa e concluiu os que, no teu caso, funcionam melhor. Define as personas e descobre qual o tipo de conteúdo que os teus seguidores querem receber, sê relevante.

Além do email, acrescenta alguns campos extra ao formulário de subscrição de newsletter de forma a, logo aí, começares a segmentar a tua lista de contactos. Deixo, abaixo, um exemplo de um campo extra que foi utilizado na PositivImpact e que permite recolher alguma informação do perfil do subscritor de forma a enviarmos conteúdos mais direcionados.

Utiliza o preheader para melhorar as campanhas

De uma forma geral, é frequente as caixas de entrada receberem novos emails todos os dias e em quantidades consideráveis. Para responder da melhor forma a este facto recomendamos que utilizes cada elemento das tuas campanhas de email para te destacares e conseguires impulsionar as taxas de abertura. Além do natural relevo que deve ser dado ao assunto do email (não o deixes para último na preparação das campanhas!), é também importante que não negligencies o preheader, sendo algo que verificamos com alguma frequência nos emails que recebemos.

O preheader é o texto que surge depois da linha do assunto quando o email é exibido na caixa de entrada, devendo ser utilizado para dar ao recetor uma informação extra do que poderá encontrar no conteúdo do email e despertar o interesse dos subscritores em abrir o mesmo.

Da minha experiência, recomendo escrever o assunto do email e o preheader na mesma altura uma vez que estes aparecem juntos na caixa de entrada e devem funcionar como um apelo simultâneo para a ação, complementando-se. Pense no preheader em conjunto com a sua linha de assunto, e vice-versa. Deixo, abaixo, um exemplo de um preheader para visualizares melhor do que estamos a falar.

A importância do remetente

O remetente ou “sender name” é geralmente o primeiro elemento a ser visualizado quando um novo email surge na caixa de entrada. Como tal, este é também um campo que não deves descurar quando crias campanhas de email. Definir o remetente com uma designação vaga como, por exemplo, “Newsletter” é algo que não recomendamos.

A probabilidade de o email não ser devidamente considerado quando o emissor não está bem definido é maior, além de perder destaque no meio de outros nomes de remetentes mais específicos.


Existem diferentes opções para utilizar como remetente. Podes, por exemplo, utilizar o nome da marca ou, além do nome da marca, acrescentar o nome do emissor, deixo abaixo um exemplo deste caso. Em testes que realizamos, constatamos que utilizar o nome do emissor e da marca em conjunto teve um efeito positivo nas taxas de abertura.

Cria conteúdos que captem a atenção do leitor

Evita que os teus emails se tornem previsíveis ou repetitivos, torna-os únicos. Seja pelo design que utilizas ou pelo conteúdo que escreves, desta forma vais gerar uma maior envolvência com o utilizador. Um tipo de conteúdo que está a ser utilizado com mais frequência são os gifs. São um recurso que ajuda a dinamizar o conteúdo da campanha, captando, por norma, mais atenção do que, por exemplo, uma imagem estática.

Além da animação que os gifs conseguem acrescentar ao conteúdo verificamos também um efeito positivo na taxa de cliques únicos, chegando atingir um aumento entre 30% a 50% em alguns envios. O que recomendamos é que testes com a tua base de contactos e verifiques se, no teu caso, proporciona igualmente um aumento no número de cliques.

Acrescento uma nota, apesar de os gifs já serem suportados pela grande maioria das plataformas de email há algumas que ainda não estão preparadas, portanto, testa sempre antes de enviar. Abaixo, um exemplo de um gif que foi utilizado numa campanha de email.

Fonte: https://mailbakery.com/blog/25-excellent-examples-of-gif-illustrations-in-email-marketing-the-sequel/

 

Cria uma lista de contactos qualificada

Uma boa lista de contactos de email é fundamental para que os resultados das campanhas sejam positivos. Tem atenção que uma boa lista não significa necessariamente uma lista com muitos contactos, mas sim que os contactos existentes sejam válidos, não estejam duplicados ou inativos e interajam com os teus envios de forma positiva.

Uma notícia agradável é que hoje a generalidade das plataformas de envio de email já removem de forma automática contactos considerados inválidos, pois normalmente apenas servem para gerar um impacto negativo nas taxas de entrega e na reputação do IP.

Relativamente aos contactos inativos, ou seja, aqueles que não interagem com os emails já há algum tempo, é preferível desenhar uma estratégia específica para os tentar ativar. Se após a tentativa de ativação do contacto esta não funcionar, é preferível retirá-lo definitivamente da lista.

Lembra-te também que os interesses dos teus contactos se podem ir modificando. Um subscritor que se registou para receber a tua newsletter pode, ao fim de algum tempo, deixar de estar interessado em recebê-la por diversos motivos. Está atento a estas mudanças de comportamento e faz uma revisão periódica da tua lista de forma a mantê-la saudável e qualificada.

Não ignores a era mobile

Com as vantagens ou desvantagens que lhe possam estar associadas, é um facto que os smartphones se tornaram uma extensão de grande parte das pessoas e são consultados várias vezes ao dia. Uma das consequências é o aumento da visualização de emails em dispositivos móveis onde se verifica um crescimento contínuo. É importante que os emails vão além do conceito de design responsivo e que sejam efetivamente idealizados e otimizados para mobile. No gráfico, abaixo, é possível constatar a evolução do número de consultas ao email em mobile vs desktop nos últimos anos.

Mesmo nos casos em que os utilizadores preferem aceder às suas mensagens de correio eletrónico no desktop, estudos apontam que uma parte importante desse segmento utiliza os dispositivos móveis para fazer uma primeira triagem dos seus emails e só mais tarde consultar no desktop, reforçando também aí a importância do “mobile first!”

Investe tempo a analisar os resultados

 

Nunca é demais relembrar a importância da análise dos resultados, pois são eles que vão permitir saber o que estás a fazer bem e onde estão as oportunidades de melhoria.

Algumas das métricas a que sugerimos estares atento são a Taxa de Abertura, Taxa de Clique, Taxa de Conversão, Taxa de Crescimento da Lista, Taxa de Abandono, ROI, Testes A/B. Verifica também a eficácia das tuas campanhas, por exemplo, das leads geradas quantas efetivamente compraram?

Lembra-te também que o objetivo da estratégia de email marketing pode variar de empresa para empresa. Desenvolve os teus próprios KPI’s e define aqueles que, perante a tua estratégia, são mais relevantes.

Espero que estas dicas sejam úteis e ajudem a alcançar os sucessos que pretendes. Já testaste algumas destas práticas? Funcionaram no teu caso? Que outras estratégias utilizas?

Se gostaste deste artigo, subscreve a nossa newsletter e recebe mais conteúdos relacionados.

Alguma dúvida ou questão teremos todo o gosto em ajudar.

QUER ACELERAR O SEU NEGÓCIO NO MERCADO DIGITAL?

Deixe o seu Comentário

Comentários